• Observatório Social

Travessias elevadas estão fora da regulamentação

Atualizado: 17 de Jul de 2019

Analise foi realizada por aluno bolsista da Unifebe e voluntário do OSBr


O acadêmico do curso de Engenharia Civil da Unifebe e bolsista do artigo 170, Matheus Boso Till, realizou uma analise de algumas travessias elevadas do município para o Observatório Social de Brusque. Foram avaliadas quatro travessias que estão localizadas na frente das escolas José Vieira Corte, Paquetá, Governador Ivo Silveira e João XXIII.


A travessia elevada em frente à escola de Educação Básica Governador Ivo Silveira apresentou o maior número de irregularidades, foram contabilizadas quatro. A faixa elevada não possui linha de retenção; as demarcações dos triângulos estão na cor branca não condizendo com a regulamentação; o asfalto foi modificado em decorrência de obras realizadas na região e a pintura não foi refeita e a placa que antecede a mesma não cita a presença de travessia elevada.


Além disso, a faixa também não apresenta piso tátil na calçada conforme prevê a norma ABNT NBR 9050. Esse problema também foi encontrado nas outras travessias analisadas.

Em frente à Escola de Ensino Fundamental Paquetá a travessia é mais alta que a calçada e não possui nenhuma sinalização antecedendo a faixa ou informando a existência dela.


Na travessia da Escola de Ensino Fundamental José Vieira Corte também não existem placas antecedendo a faixa e na Escola de Ensino Básico João XXIII os triângulos amarelos desenhados na rampa estão apenas em um lado da travessia.


O Observatório Social de Brusque vai protocolar a entrega do Estudo das Faixas de Travessia de Pedestres na Prefeitura de Brusque e oportunamente irá visitar os locais a fim de verificar se as irregularidades foram sanadas.


Confira a pesquisa completa utilizada nesta matéria aqui.


Fotos: Mateus Boso Till

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo