• Eliza Keren M da Silva

Sem propostas, linhas escolares ficam ‘desertas’

Na manhã dessa segunda-feira (19), o Observatório Social de Brusque (OSBr) acompanhou o pregão 125/2014, o primeiro a ser licitado no ano de 2015. O objeto do processo licitatório era para a contratação de empresa para prestação de serviços de transportes de passageiros (vans e ônibus) para a administração municipal, incluindo alunos da rede municipal de ensino. Pela falta de propostas, alguns itens, os quais representavam algumas linhas de bairros da cidade brusquense, ficaram desertos e sem empresas para oferecer o serviço de fretamento. 


A licitação teve duas empresas participantes, a DJ Agência de Viagens e Turismo e a Arlindo Vogel. A primeira apresentou o menor preço para o lote um (1), a qual é a linha Poço Fundo. Já a segunda venceu o lote dois (2), linha Cristalina/Dom Joaquim. Do lote três ao 11 não houve propostas, ou seja, as linhas Limeira Alta/Ribeirão Tavares, Cedro Grande, São Pedro, Santa Luzia/Zantão/ Poço Fundo/Águas Claras, Limeira/Ribeirão Tavares para a Apae, Limeira para Apae, Azambuja para a Apae, Cedrinho para a Apae e Dom Joaquim para a Apae ficaram desertas. 


O valor referência do edital era de R$ 371.560, sendo que o lote um (1) era de R$ 57.360, com valor unitário de R$ 2,39. A importância arrematada foi de R$ 2,37. O segundo lote possuía um valor global de R$ 37.280, unitário de R$ 2,33. Por fim, teve o mesmo valor final arrematado. 


O OSBr entrou em contato com o departamento de licitações da Prefeitura de Brusque e foi informado que deve ser aberto novo processo licitatório para as linhas sem propostas, entretanto, como o procedimento é demorado, as secretárias de educação e assistência social devem realizar contratação emergencial para os lotes de três ao 11.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo