• Observatório Social

Programa Observador Mirim reinicia atividades

Iniciativa do Observatório Social de Brusque, lançada em 2016, visa trabalhar a educação fiscal com estudantes da rede pública e privada de ensino


Nesta semana, o programa Observador Mirim, desenvolvido pelo Observatório Social de Brusque reiniciou as atividades, tendo alunos da Escola de Educação Básica João XXIII, como a primeira turma do ano a receber as aulas de educação fiscal. Welinton de Amorim, de 8 anos, é um dos estudantes contemplados com o programa e avalia a iniciativa com entusiasmo. "Eu achei essa ideia bem interessante. Esse tipo de aula é muito legal, porque a gente estuda e brinca ao mesmo tempo. As atividades incentivam a gente a prestar atenção no que está se falando sobre os impostos e a utilização correta do dinheiro. E com as brincadeiras fica mais fácil de aprender", garante o menino.


Projeto O projeto Observador Social Mirim começou a ser desenvolvido em 2016 em escolas públicas de Guabiruba e em 2017 está sendo ampliado para Brusque e Botuverá. Por meio de três encontros que somam seis horas-aula, com as turmas de quarto ano do ensino fundamental, são repassadas aos estudantes orientações sobre educação fiscal. "Nossa proposta é expandir as atividades do ano passado e estamos otimistas com o projeto, que agora conta com o apoio da Unimed e da Receita Federal. Com certeza vamos contribuir para a formação de cidadãos mais conscientes que vão buscar os seus direitos, vão fiscalizar melhor as decisões importantes do município e ter uma participação mais ativa, na busca de uma cidade mais justa e melhor para se viver", salienta Evandro Gevaerd, diretor executivo do Observatório Social.


Apoio A cartilha de educação fiscal utilizada em sala de aula, traz de maneira lúdica, uma história em quadrinhos contada pela personagem Lupinha, que faz abordagens sobre o papel dos observadores mirins, como são estruturados os poderes no nosso país, lições de cidadania, o que são impostos e como deve ser aplicado o dinheiro público. O material entregue aos estudantes foi patrocinado pela Unimed Brusque, que fez a entrega das cartilhas durante a primeira aula do projeto, na manhã de quarta-feira, 3 de maio. "Um dos pilares da Unimed Brusque, é investir em responsabilidade social e o projeto apresentado pelo Observatório Social, está recebendo nosso apoio diante de sua importância para a cidade. Não vemos outro caminho, a não ser investir na educação dessas crianças, e contribuir para a formação de cidadãos mais conscientes quanto ao seu papel de fiscalizar o dinheiro público e a aplicação dos impostos", declara o gerente geral da Unimed Brusque, Guilherme Gamba.


Diferencial Paralelo ao uso da cartilha, são realizadas atividades como a brincadeira de ‘passa ou repassa', a montagem de uma apresentação teatral sobre o planejamento de gastos públicos, e a simulação de uma loja, onde os estudantes podem comprar e vender, utilizando dinheiro de brincadeira, para perceber o real valor dos tributos embutidos em cada produto. Ao final dos encontros, os alunos ganham uma lupa e se tornam observadores sociais, que devem ajudar a fiscalizar e zelar pela transparência na gestão dos recursos públicos.

"Queremos que as crianças aprendam uma nova concepção do que representam os tributos e se tornem adultos mais solidários e responsáveis", frisa o diretor do Observatório Social de Brusque.





0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo