• Observatório Social

OSBr sugere maior controle sobre carga horária dos profissionais da saúde

O levantamento divulgado pelo Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas) no último ano, aponta que para 57,9% dos entrevistados que usaram ou acompanharam seus familiares no sistema público de saúde, a falta de atendimento médico é o problema mais grave do SUS. A cobrança observada na pesquisa nacional parece se refletir também no município de Brusque.


Na última semana, um morador denunciou a falta de médicos na Policlínica Central, que teoricamente oferece atendimento até as 22 horas. De acordo com seu relato, ao procurar atendimento para sua filha na unidade, os servidores presentes avisaram que não poderiam atendê-la, pois o médico havia ido embora há algum tempo.


A situação pode indicar o não cumprimento da carga horária por parte do profissional de saúde, causando transtornos aos cidadãos e prejuízos de toda natureza. Na busca pela resolução do problema, o Observatório Social de Brusque encaminhou ofício ao prefeito Paulo Roberto Eccel, alertando sobre o acontecido e solicitando controle mais rígido da carga horária dos servidores municipais.


Além disso, foi sugerida à administração municipal a ampla divulgação dos horários de atendimento e a disponibilidade de médicos, sempre atualizado e com antecedência. A proposta é que as informações sejam fixadas em local visível em todas as unidades de saúde e através da página oficial da Prefeitura na internet.


A resposta ao ofício será divulgada assim que recebida.


Foto: Prefeitura de Brusque

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo