• Observatório Social

Estudo mostra o perfil da nova composição da Câmara de Vereadores

Quinze vereadores foram eleitos em 2012 para compor o Poder Legislativo de Brusque pelos próximos quatro anos. A grande expectativa do pleito ficou por conta do aumento no número de cadeiras na Câmara, somando 5 vagas às 10 já existentes.


Mas a mudança não ficou apenas no número de vagas. A composição político-partidária da Câmara também sofreu alterações, com um aumento significativo da base aliada do prefeito reeleito. Teoricamente, a administração municipal deve obter apoio político de 10 dos 15 vereadores. Além disso, 4 novos partidos chegam à Câmara (PSD, PPS, PT do B e PTC), enquanto outros 2 (DEM e PDT) não elegeram nenhum de seus candidatos e 1 (PR) cedeu sua vaga para assumir outro cargo.


As maiores bancadas foram eleitas por dois partidos: PT e PSD, o primeiro com crescimento de 300% em relação ao último pleito e o segundo conquistando 4 vagas em sua primeira eleição desde a criação da sigla. Entre as quedas, o destaque vai para o DEM, que viu seus principais representantes migrarem para o PSD, levando consigo os votos.


Mas nem tudo é mudança, afinal, dos vereadores eleitos em 2008, 50% foram reeleitos este ano, número maior se considerado o vereador Dejair Machado, que atualmente legisla como suplente de Jones Bósio.


A Câmara de Brusque ficou também mais experiente. A média de idade dos novos vereadores é de 47,4 anos, enquanto na gestão anterior era de 44,1 anos. O número pode ser explicado pelo alto índice de reeleição - e consequentemente o envelhecimento dos vereadores - e a falta de eleitos com menos de 30 anos. O vereador mais novo, por exemplo, possui 31 anos, enquanto os mais velhos estarão com 61 anos em 2013.


Vale ressaltar também o grau de instrução dos eleitos, que tiveram mudanças significativas na comparação de gestões. O número de vereadores que concluíram o ensino superior continua representando a maioria, embora percentualmente tenha acontecido uma queda de 53% para 70% de graduados.


O Poder Legislativo será composto predominantemente por brusquenses, 10 dos vereadores nasceram em Brusque, enquanto os 5 demais são naturais de outros municípios catarinenses. Outra predominância notada é a masculina, embora a população tenha voltado a eleger uma mulher para a próxima gestão, Marli Leandro. A última participação feminina foi também de Marli Leandro, mas apenas como suplente de Valmir Ludvig.


Na nova composição da Câmara, a profissão que mais ganhou representantes é a de professor. A partir de 2013, a categoria terá 3 legisladores. Além destes, a Câmara será composta por 2 advogados, 2 empresários, 2 servidores públicos municipais, 1 médico, 1 diretor de empresas, 1 trabalhador metalúrgico e siderúrgico, 1 aposentado (exceto servidor público), 1 que se declarou vereador e 1 que definiu sua ocupação como "outros".


Foram eleitos também 2 sindicalistas, José Isaias Vechi, presidente do Sintimmmeb (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Brusque) e Marli Leandro, presidente do Sintrivest (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Vestuário de Brusque e Guabiruba). Na gestão anterior não haviam representantes da classe operária.

Outro dado disponível é a declaração de bens dos vereadores eleitos. Os valores totais variaram consideravelmente, com valores partindo de quase 9 mil reais até mais de meio milhão. Os bens mais declarados foram imóveis, automóveis e terrenos.


Vale ressaltar que os candidatos Alessandro André Moreira Simas (PR) e Joaquim da Costa "Manico" (PMDB) foram eleitos, mas não assumirão suas vagas, pois terão cargos na Prefeitura. Dessa forma, os suplentes Célio de Souza (PMDB) e Deivis Junior (PTC) assumem já no início da gestão.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo