• Observatório Social

Em tempo de Copa, número de doadores caiu para a metade

O mês de Julho, segundo o Inca, é o período que mais necessita da doação de sangue


O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) registrou queda de 50% nos estoques de sangue, devido ao baixo comparecimento de doadores ao hospital no período da Copa do Mundo 2014.


O INCA vai iniciar, a partir desta segunda-feira (30) e vai até sábado (5), uma campanha para regularizar os níveis de doação de sangue durante evento. A responsável do Serviço de Hemoterapia do Inca, Iara Motta, destacou que é grande a dificuldade para conseguir doadores em períodos de grandes eventos no Brasil. Segundo ela, 50 pessoas doam sangue diariamente, quando o ideal seria 80. Na Copa este número caiu para 25, ou seja, metade.


O Inca faz, anualmente, cerca de 90 transplantes de medula óssea, 8.500 cirurgias, 42 mil atendimentos em quimioterapia e 73 mil atendimentos em radioterapia. Para que estes procedimentos sejam efetuados, o Instituto precisa fazer mais de 3 mil transfusões de sangue por mês.


Podem doar sangue as pessoas entre 16 e 69 anos com mais de 50 quilos, menores de 18 anos de idade precisam de consentimento do responsável legal; não é necessário estar em jejum; evitar alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação. Pessoas com febre, gripe, resfriado, grávidas e com tatuagens não podem doar sangue temporariamente.

0 visualização0 comentário